Colônia Penal é o último espetáculo da Cia Carne Agonizante no Eita III

Nesta quinta-feira (27), a Cia Carne Agonizante apresenta “Colônia Penal” e encerra sua participação no III Eita – Encontro Beradêro em Dança. Os espetáculos apresentados fazem parte do projeto “Questões Políticas na Contemporaneidade”, contemplado com o Prêmio Funarte de Dança Klauss Vianna 2015. Já foram apresentados “O Canto Preso”, dia 25 e ontem “Estado Independente” (26).

Sinopse
Colônia Penal é inspirado na obra homônima de Franz Kafka (1883 -1924)
e na ditadura militar brasileira (1964-1985).

A abordagem da condição humana e social implícita nas obras de Kafka é de uma atualidade desconcertante; e se aproxima do que julgamos urgente e fundamental discutir na sociedade contemporânea. Kafka nos dá uma visão ampla e original do indivíduo em relação ao meio em que está inserido. A opressão, o aprisionamento e a desesperança deste homem que traz em si as marcas de sofrimento de um mundo alienado são temas recorrentes em sua obra.
O escritor Checo faz uma análise crítica sobre o instituto da pena, analisando os seus limites, a sinistra imposição de penas baseadas em castigos corporais pelo Estado e ilustra com clareza e precisão as barbáries que constituíam as técnicas medievais na aplicação desses castigos punitivos. É uma crítica aberta aos regimes despóticos nos quais o processo judicial e o direito de liberdade são subjulgados.

O espetáculo propõe que o insólito e o absurdo possam ser percebidos em várias situações: Numa detalhada descrição de métodos de tortura dos regimes antidemocráticos abrigando e encobertando assassinos; na cruel e irônica omissão de um observador estrangeiro; na estranha relação entre o poder oficial e o condenado.O coreógrafo Sandro Borelli e Grupo ampliam a pesquisa em direção as torturas cometidas pela ditadura militar no Brasil nas décadas de 60, 70 e 80 resultando com a morte e desaparecimento de centenas de brasileiros contrários ao regime da época. Constrói uma estrutura de gestos, ações e movimentos resultando uma dramaturgia corporal teatralizada, para gerar um jogo de tensão no espectador.

Colônia Penal caracteriza-se como um atentado contra a dignidade humana. É o anti-herói kafkiano lançado, torturado e executado nos porões da ditadura militar brasileira.

Ficha Técnica
Concepção, direção e coreografia: Sandro Borelli
Assistente de Coreografia: Rafael Carrion
Intérpretes: Alex Merino, Amanda Santos, Everton Ferreira, Laia Mora, Mainá Santana e Rafael Carrion.
Preparação corporal: José Ricardo Tomaseli e Vanessa Macedo
Trilha sonora: Gustavo Domingues
Luz: Sandro Borelli
Cenografia: Grupo
Fotografia: Junior Cecon
Arte gráfica: Gustavo Domingues
Diretor de Produção: Júnior Cecon

Serviço
III Eita – Encontro Beradêro em Dança
Espetáculo: Colônia Penal
Data: 27/10/2016
Horário: 20h
Classificação: 16 anos
Duração: 60 minutos
Entrada gratuita – chegar com antecedência
Local: Teatro Guaporé – Complexo Funpar
Endereço: Av. Tabajara, s/nº – Olaria


Compartilhe


Comentários

Agenda por categoria

Veja a agenda de eventos de uma categoria específica.